• Photobucket

Home / Uncategorized / Tettris

Tettris

BPI_3101 Esta semana rumámos a um dos bairros mais simpáticos de Coimbra e fomos almoçar ao Café Tettris, bem no centro do Bairro Norton de Matos. Para os mais antigos ainda é o Galusa, nome do primeiro café naquele espaço. O empregado diz-nos que também por lá passou um mini-mercado e que só há cerca de 15 anos passou a ser Tettris, sendo que a nova gerência está em funções há 6 anos.

Típico café de bairro, o Tettris tem uma decoração moderna e um ambiente jovem, onde é comum ver estudantes a comer qualquer coisa ao mesmo tempo que passam os olhos pelos canhenhos. O wi-fi é grátis, o que faz com que haja sempre o viciado no canto da sala de auscultadores nos ouvidos a comentar tudo o que é status do Facebook. Para combater abusos, o uso da electricidade é cobrado: 60 cêntimos, diz o papel afixado na parede. Os dois lcd’s em lados opostos da sala convidam a ver a bola. Em dias de jogo é difícil arranjar mesa.

A tosta de galinha do Tettris vem ganhando fama e já várias pessoas nos tinham falado nas suas tostas em pão alentejano. Apesar de haver a versão mais comum com o tradicional pão de forma, optámos pela primeira sendo logo alertados ao balcão que a tosta era gigante. Como nos iria servir de almoço, não vacilámos.

BPI_3091

Ao chegar à mesa é que constatámos o abuso que era: nem cabia no prato, era um autêntico desafio ao alarve que habita em nós.

De aspecto, além do tamanho, salta à vista a bonita cor do pão alentejano tostado e o frango, que estava bem mais desfiado que na tosta do Atenas. Ao provar constata-se que está desfiado demais, com a textura a assemelhar-se a atum, apesar do sabor agradável e suculento com o queijo derretido bem presente, deixando-nos fios pela barba. Depois de algumas dentadas começamos a sentir o picante, que nos vai adormecendo o palato sem exageros.

O pão é crocante como se exige numa tosta, mas pouco delicado, acabando por ser em quantidade exagerada. No final, damos por nós a comer apenas o miolo e a deixarmos as côdeas de lado. Até para mim comer tudo foi uma tarefa complicada, mas não deixei os créditos por mãos alheias, descansem.

Por pouco mais de 3 euros é um almoço bastante acessível e é impossível ficar com fome. É uma tosta perfeita para dividir: uma metade chega perfeitamente para um lanche. Não vos irá com certeza desiludir, mas também não vão para casa a pensar nela nem acordar de noite a salivar.

Texto de Bruno Raposo
Fotografia de Bruno Pires

(Publicado a 23 de Janeiro de 2014)