• Photobucket

Home / Uncategorized / Inês Santos

Inês Santos

sliderlogosmallInês Santos aproveitou uma curta escala entre dois cruzeiros e encontrou-se connosco a meio caminho entre o Largo da Portagem e Istambul. Entre um amendoim e um tremoço, a acompanhar uma cerveja com gasosa, a cantora contou-nos o que faz quando regressa a casa, onde corta o cabelo (que já foi muito mais curto) e o que faria se tivesse uma empresa de demolições.

Gosto de Coimbra porque… Foi a cidade onde nasci, onde criei bases sólidas de família, amizade e educação. E onde comecei a cantar, no Coro dos Pequenos Cantores.

Figura mais emblemática da cidade: O Tatonas.

Em Coimbra, irrita-me… Ui, muita coisa. Uma delas o facto de não se dar valor aos artistas da terra.

Sítio preferido: O café onde me junto com os meus amigos.

Melhor esplanada: A do café onde me junto com os meus amigos.

Melhor sítio para comer: Em minha casa, o rancho da minha mãe.

Melhor sítio para beber copos: Em tempos os Anos Loucos, actualmente o Piolho.

O que faz no dia do cortejo da Queima das Fitas? Agora nada. Normalmente nem estou em Coimbra. Mas quando as minhas amigas estudavam na Universidade eu festejava a Queima como se fosse estudante também (não fiz universade por escolha própria). Houve um ou 2 anos em que até desfilei no cortejo atrás do carro do curso de amigas minhas.

Onde costuma estacionar quando vai à Baixa? Dá moeda ao arrumador? No parque da Loja do Cidadão ou na Couraça.

Onde é que não leva um amigo de visita à cidade? À Avenida Fernão Magalhães. É uma rua poluída e feia.

Se pudesse demolir alguma coisa em Coimbra, o que seria? Aqueles prédios embargados há anos na Rua do Brasil.

Um espaço desaproveitado: O Jardim da Sereia. Lindíssimo mas com muito pouca vida e até um pouco perigoso.

Melhor concerto que viu: Iggy Pop na Queima. Tinha eu 15 ou 16 anos.

Último museu que visitou: Exploratório.

Para relaxar/estar sozinha… Para relaxar vou sempre arranjar, cortar ou pintar o cabelo ao Carlos Gago, Ilídio Design, meu cabeleireiro há quase 30 anos. Quando vou a Coimbra não vou para estar sozinha, pelo contrário. Vou para ver amigos e família.

Para me informar sobre o que acontece em Coimbra… Pergunto aos que aí vivem.

Estou a responder a este inquérito… Em Lx, onde vivo. Neste momento no escritório da Portuscale Cruises onde trabalho como directora de entretenimento de uma frota de navios.