• Photobucket

Home / Tendências / Coimbr’a Pedal

Coimbr’a Pedal

BPI_3097Acha que falta estacionamento em Coimbra? Está enganado. O que falta são menos carros e mais bicicletas a circular. Mudar o paradigma da nossa mobilidade (demasiado apegado ao automóvel individual), deixar o carro em casa e pedalar até ao emprego, até à escola ou ao supermercado. Esta é a solução apontada pelo Coimbr’a pedal, “um movimento que pretende promover a mobilidade ciclável como alternativa aos transportes motorizados” para muitos dos problemas de trânsito, saúde e poluição da cidade.

À conversa com Inês Frade, uma das responsáveis pelo Coimbr’a pedal e aluna de doutoramento em Sistemas de Transportes, apercebemo-nos que apesar do grande desnível entre os dois grandes patamares da cidade (Celas+Alta e Baixa+Solum+Vale das Flores), é possível pedalar entre eles de forma confortável e menos extenuante. Bastaria, por exemplo, que os SMTUC permitissem o transporte de bicicletas convencionais e muitos percursos entre estas zonas da cidade tornar-se-iam bastante mais fáceis e viáveis para os ciclistas.

TROLLINO NOVO TROLEICARRO - COIMBRA

A par desta sugestão intermodal, os organizadores deste movimento promoveram um inquérito sobre o que falta em Coimbra para melhor pedalar e os resultados estão disponíveis aqui. A abertura de um caminho pedonal e ciclável no Jardim Botânico ligando os Arcos do Jardim à beira-rio, mais zonas de estacionamento espalhadas pela cidade e a reparação do elevador do Mercado são algumas das sugestões de quem quer pedalar na cidade, conhece os seus obstáculos e quer ajudar a eliminá-los.

Além das vantagens já referidas, há uma grande poupança financeira para as cidades que promovem o transporte em bicicleta, como comprova um estudo realizado em 2009 na cidade de Copenhaga que demonstra que “a capital dinamarquesa, ao proporcionar a utilização da bicicleta está a ter ganhos na saúde da ordem dos 270 milhões de euros, já que uma viagem de bicicleta poupa à sociedade cerca de 0,50€ enquanto que uma viagem de carro gasta à sociedade 0,90€”. Como diria um certo Comissário das Nações Unidas, é fazer as contas.

BPI_2899

Sendo que a cidade está cada vez mais repleta de automóveis e mais estacionamento traz ainda mais automóveis e mais problemas de trânsito, há que aproveitar o exemplo de gente famosa como Joaquim Agostinho, Elliott e o pequeno ET ou Lance Armstrong e pedalar sem dó nem piedade até ao destino. O doping fica ao critério de cada um, sendo que para esta pedalada fotográfica apostámos em duas bifanas do Borges e um refrigerante com cafeína e não tivemos problemas.

Texto e fotografia de Bruno Pires

(Publicado a 24 de Outubro de 2013)