• Photobucket

Home / Música / Elite Athlete: “Low”

Elite Athlete: “Low”

BPI_8702_SmallJoão de Almeida não brinca em serviço, pelo menos no que diz respeito à criação musical. Um dos seus alter-egos, Elite Athlete, irá lançar já no próximo dia 16 de Outubro um novo EP: “Low”.

João confessou-nos que o seu interesse pela música foi crescendo ao longo do tempo, mas a semente foi plantada na sua pré-adolescência pelo seu irmão mais velho. “Eu recebia muita música vinda do quarto do meu irmão, à noite. Tenho a perfeita memória de me deitar e ouvir toda a música que vinha de lá”. No entanto, sempre foi muito resistente ao tipo de som que se reproduzia entre paredes. “Apesar de adormecer a ouvir, não era aquela a música de que gostava”. Até a altura em que, já adolescente, fez uma viagem e ‘roubou’ alguns discos do irmão: “dois de Pixies e mais uns tantos”. Foi precisamente nesse momento que o interruptor se posicionou no on.

A descoberta nunca mais parou e o trabalho manteve-se sempre em progresso. Saltitando de género musical em género musical, esbarra com a música electrónica e não há amor como o último. “A música electrónica foi das últimas coisas que descobri, já depois de ouvir muito metal, muito pós-rock, muito ambient. Foi aliás o ambient que me levou à electrónica e depois começaram a fazer falta as batidas”, contou. Uma outra grande influência na sua vida, enquanto marca do seu percurso pela música, foi e ainda é a Rádio Universidade de Coimbra (RUC), onde entrou em 2008 e tem um programa actualmente (o ‘Brava’). “Foi muito importante a influência da RUC e das pessoas da RUC. A partilha é sempre fulcral, na rádio e com toda a gente”.

Foi num Verão, numa daquelas tardes em que não há nada para fazer, que a vontade de criar a sua própria música nasceu. “Na minha aldeia, S. Silvestre, íamos para casa de um amigo que andava a tirar um curso de produção de música. Ficávamos lá tardes, noites e madrugadas a vê-lo trabalhar. Um dia deu-me vontade de experimentar aquele software”, relembra acrescentando que o fez numa perspectiva de brincadeira.

A verdade é que a brincadeira se tornou em algo sério e a necessidade de aprender tocou-lhe com o volume bem elevado. “A partir daí fui começando a aprender, por tutoriais e com amigos”. “Mas há muitas coisas que ainda desconheço como se fazem”, fez questão de sublinhar.

O processo criativo começou quase imediatamente e nasce assim o projecto Elite Athlete. “Criei logo um tema homónimo que foi editado pela MiMi Records em 2009”. São actualmente cinco os EPs editados por Elite Athlete (para não falar de músicas e remisturas soltas que vai criando) sendo este “Low” o sexto. “With a Disability”, pela MiMi Records em 2009; “Cut it Out”, pela MPD (Música Pop Desempregada) em 2010; “Made on Trains”, pela Awesome Tapes From Granja (ATFG) em 2011; “Photographs With You” e “Last Winter”, ambos de livre distribuição no bandcamp, em 2011.

1235226_547198915334911_1149697624_n

O novo EP de Elite Athlete, “Low”, editado pela Extended Records, é constituído por 5 temas. O tema original “Low” e mais quatro remisturas feitas por artistas convidados: IVVO, Ludovic, Sabre e Anders Blickmann. “Este EP é diferente. É mais como um amante de música a querer ter um tema específico reinterpretado por quatro artistas em que se revê e gosta bastante. É uma espécie de EP em colaboração. E cada remistura vale como um tema independente, porque são todos muito diferentes e captam o espírito de cada um dos artistas”, explica.

A nossa curiosidade não ficou por aqui. Quisemos saber tudo: onde trabalha, onde se inspira e como é afinal o seu processo de criação artística. “Trabalho em todo o lado. O melhor sítio é em casa, no meu quarto, mas houve temas que começaram no corredor da RUC, enquanto esperava para fazer programa. Como também não uso grande aparelhagem, posso fazer as coisas onde quiser”. Em relação às fontes de inspiração, a música que ouve é sem dúvida a mais forte. “Muitas vezes estou a ouvir um tema e ouço um detalhe qualquer que me dá uma ideia”. Depois, o processo de construção das músicas é algo que vai crescendo e evoluindo. “Ao início, o que me faz despertar a vontade de fazer algo é consciente. Ouço, tenho uma ideia e penso que talvez consiga fazer alguma coisa a partir daí. Quando começo a produzir, fico abstraído de qualquer influência e passa a ser um trabalho só meu”, explicou. Para João, “não se trata de replicar. É usar uma linguagem que se ouviu e fazer dela uma coisa sua. É como dizer por palavras tuas, é reescrever”. Bonito, não?

João considera que Elite Athlete é bastante abrangente no que se refere à sonoridade. “Neste projecto já existe uma linguagem e um tipo de som que são consistentes. No entanto, a forma que tomam é que varia bastante. Pode ser um tema mais dançável ou mais caseiro, como música de sofá. Não posso dizer que haja uma única fórmula”. Na faixa “Low”, a “fórmula era unicamente a de fazer uma música de pista”. Admite contudo que por vezes “tenho dificuldade em concentrar-me naquilo que quero fazer e ir por um só caminho”.

Elite Athlete fez recentemente uma mini tour de apresentação do seu novo EP e parece que a reacção foi muito positiva. “Percebi isso em Lisboa, onde tinha uma pista de gente que não me conhecia de lado nenhum. Pude testar a força da faixa”. Mas na verdade, fazer dj set é algo que o estimula mais do que live-acts. “Fazer um live é uma coisa que nunca explorei muito. Como ando sempre a saltitar, não tenho grande estabilidade para ter o meu estúdio e o meu material e começar a pensar na reinterpretação dos temas e em reconstruí-los ao vivo. Um dj set, mesmo como Elite Athlete, dá mais gozo porque nunca é igual e posso criar algo específico para aquele espaço, aquela hora, aquela pista naquele momento”.

BPI_8690_Small

Em relação ao futuro de Elite Athlete, podemos desvendar que há projectos já em vista. “Existem muitas faixas em fase embrionária e que têm uma consistência mais espacial e mais cósmica. Quem sabe um mini LP. As coisas estão a ser feitas, não há pressão de nenhum lado, por isso talvez aconteça a meio do próximo ano”.

João de Almeida tem ainda um outro alter-ego, The Love Making Of. “É uma espécie de output mais colorido que não quero juntar com Elite Athlete”. Nem nós. E por isso aguardamos por um outro artigo.

O irmão de João apoia-o incondicionalmente. No entanto, “não gosta muito, não é bem o género de música preferido dele”. Já fez o mais importante.

https://soundcloud.com/extendedrecords/elite-athlete-low-anders

Texto de Carina Correia
Fotografia de Bruno Pires

(Publicado a 10 de Outubro de 2013)