• Photobucket

Home / Cinema / O Gangue de Hollywood

O Gangue de Hollywood

bling-ring-emma-watson-600x350-03

Se não soubéssemos que aconteceu na realidade, não acreditaríamos. Falamos do novo filme de Sofia Coppola, “The Bling Ring – O Gangue de Hollywood”, baseado em factos reais, passados entre 2008 e 2009 em Los Angeles.

O filme conta-nos a história de um grupo de jovens que, ofuscados pelo glamour e pela fama, decidem assaltar casas de celebridades nos arredores de Hollywood. Entre as vítimas estão personalidades como Paris Hilton, Lindsay Lohan e Orlando Bloom. Jóias, roupas, calçado, peças de arte e dinheiro, estima-se que ao todo estes furtos atingiram um valor de 3 milhões de dólares.

Sofia Coppola (As Virgens Suicidas, 1999; O Amor é um Lugar Estranho, 2003; Marie Antoinette, 2006; Somewhere, 2010) baseou-se no artigo ‘The Suspects Wore Louboutins’ que Nancy Jo Sales escreveu para a Vanity Fair (em Março de 2010) sobre este caso. A realizadora volta à temática da adolescência, tal como fez em “Virgens Suicidas”, mas desta vez deixa o dramatismo de parte e embarca em direcção à excentricidade.

Os adolescentes aqui retratados vivem num mundo aparte, deslocados da realidade, onde o sonho americano se distorce. E a nós, espectadores, calhou a árdua tarefa de perceber, se é que há explicação, o porquê. Se por um lado, todos os jovens personagens, reais não se esqueçam, provêm de famílias que apresentam algum tipo de ‘distúrbio’, como sejam uma mãe obcecada pelo livro “O Segredo”, pais divorciados ou a viverem longe, ou simplesmente pais ausentes e a milhas da vida dos filhos, e se por outro lado, estes jovens vivem inseridos numa sociedade em que a delirante e impaciente realidade das redes socias é a realidade, resta-nos perguntar: de quem é a culpa? E Sofia Coppola coloca a questão muito subliminarmente. A realizadora não faz críticas, nem juízos de valor. Simplesmente dá os dados e nós é que os lançamos.

As interpretações são boas. Emma Watson (como Nicki), Katie Chang (como Rebecca), Israel Broussard (como Marc), Claire Julien (como Chloe) e Taissa Farmiga (como Sam) conseguem sustentar personalidades bem definidas, apesar da sua parca experiência (à excepção de Emma Watson em Harry Potter) como actores.

A banda sonora, onde o hip-hop domina as pistas de dança e as aventuras, é muito forte e competente, sendo um dos pontos fortes deste filme. O que aliás é algo que Sofia Coppola já nos habituou: excelentes músicas a acompanhar os seus planos.

Apesar de não ser perfeito, este é um exercício bastante interessante sobre questões bem actuais e até, preocupantes. Pode tornar-se um pouco repetitivo pois grande parte do filme são cenas de assaltos e festas. No entanto, o calcanhar de Aquiles do filme é mesmo o facto de que ao retratar tão de perto e fielmente todo este ambiente de aparências, futilidade e fama, poder tornar-se um objecto próprio daquilo que pretende criticar. Mas não é. E basta ter atenção.

Rematamos com uma curiosidade. A casa que no filme pertence a Paris Hilton, é mesmo a verdadeira casa da modelo. Nós agora demos um dado.

Título: The Bling Ring
Realizador: Sofia Coppola
Actores: Katie Chang, Emma Watson, Israel Broussard, Claire Julien, Taissa Farmiga
Ano: 2013

Texto de Carina Correia