• Photobucket

Home / Cinema / Paixão

Paixão

timthumb

O realizador Brian de Palma, conhecido pelos seus grandiosos filmes como Os Intocáveis (1987) e Corações de Aço (1989) e também pelos mais recentes A Dália Negra (2006) e Censurado (2007), volta à realização passados seis anos do seu último filme.

No entanto, desta vez, a temática em que se move, não sendo completamente novidade para o realizador, não está na linha do que nos tem habituado. “Paixão” (“Passion”) é um filme que reúne mulheres, poder, traição, sexualidade e perigo. É um remake do filme “Crime d’Amour” (2010), de Alain Corneau.

Rodado em Berlim, e co-produzido por entidades francesas e alemãs, a história é a da relação entre duas mulheres: Christine (interpretada por Rachel McAdams) e Isabelle (interpretada por Noomi Rapace). Christina é uma mulher fatal e repleta de charme, mas muito poderosa, sendo administradora de uma grande empresa de publicidade. Isabelle, menos feminina, é uma funcionária competente e com ambição. Por força de diversas circunstâncias e das suas personalidades opostas, bem como do desejo de ambas de triunfarem no mundo empresarial, acabem por enredar-se numa rivalidade com contornos eróticos e consequências trágicas.

Este é um thriller emocionante, carregado de suspense e mistério (lembrando o mestre Hitchcock) e que, por vezes de forma irregular, consegue cativar o espectador. Algumas partes do filme carecem de sustentação desse ambiente de mistério e a questão do erotismo está pouco explorada: a provocação e a ousadia são pouco intensas. O ritmo do filme desenrola-se em dois tempos. Uma primeira parte mais monótona, em que parece que as promessas se vão ficar por aí e uma segunda parte bem mais enérgica, onde os acontecimentos, muitos deles inesperados, conduzem ao inevitável final.

As duas actrizes principais conseguem dar credibilidade às suas personagens, mostrando maturidade no difícil papel da relação amor/ódio que têm de interpretar, embora com algumas falhas, nomeadamente em cenas que pedem maior profundidade dramática.

Brian de Palma, com esta realização, foi alvo de imensas críticas, ou mesmo ausência de qualquer sinal de recepctividade por parte dos especialistas, principalmente nos Estados Unidos. No entanto, o reconhecimento deve-se logo ao facto de estar nomeado para o Leão de Ouro do último Festival de Veneza.

Não é uma obra-prima, mas é um thriller psicológico que cria dúvidas e hesitações nas nossas mentes e é sempre bom quando assim é.

Título: Passion
Realizador: Brian de Palma
Actores: Rachel McAdams, Noomi Rapace, Paul Anderson, Karoline Herfurth
Ano: 2012

Texto de Carina Correia

(Publicado a 29 de Agosto de 2013)