• Photobucket

Home / Tendências / A loja que nos faz bem

A loja que nos faz bem

Sessão fotográfica na discoteca Quebra-Orelha, em Coimbra.

Quem pensa que em Coimbra só se pode adquirir música nas grandes superfícies, está enganado. Na Rua do Quebra Costas, na emblemática e histórica zona da Sé Velha, existe na porta nº 8 uma loja dedicada à alimentação do nosso sentido auditivo.

Inaugurada em Fevereiro de 2011, a Quebra Orelha é uma loja onde se vende música em formato cd e vinil. Desde hip-hop, ao rock, funk, jazz, blues, electrónica, clássica, à música portuguesa, todos os géneros musicais têm uma estante para si. Podem também encontrar-se livros, revistas e merchandising.

Afonso Macedo, Dj e criador da Put Some (organização e produção de espectáculos na cidade), é o seu proprietário. A ideia de abrir esta loja surgiu da experiência de anos que tem no comércio de discos. E como a certa altura ficou sem o seu emprego, deu-se o mote ideal para finalmente avançar sozinho. E a crise Afonso? “É mais difícil com a crise, claro. Mas ao mesmo tempo o desafio também é maior”.

Afonso Macedo, proprietário da discoteca Quebra-Orelha, em Coimbra.

E desafiados somos nós também, quando olhamos através das grandes montras e depois, quando entramos. Um espaço diferente, bonito, acolhedor. Apetece percorrer com as mãos todas as prateleiras, todas as estantes, onde estão espalhados os diversos cds e vinis. Sim, porque o vinil está muito presente na Quebra Orelha, não fosse Afonso fã do objecto preto e redondo. A verdade é que, ao contrário do que o senso comum evoca, o “mercado do vinil é um bom mercado”, seja pelos coleccionadores ou pelos novos consumidores, que cada vez são mais.

As paredes da loja são altamente apelativas, neste caso à visão. Desde pinturas, a quadros, tudo é pensado de forma harmoniosa. Existe mesmo um conceito inerente a uma das paredes: ‘Galeria de Arte Efémera’. O que se pretende é que a parede ganhe o perfil de galeria de arte, onde artistas plásticos, num sistema rotativo, expõem algo.

A dinâmica não se fica por aqui. São diversas as actividades já realizadas e pensadas para o futuro. Concertos, live-acts, ou a comemoração do Record Store Day (evento internacional realizado simultaneamente por várias lojas de discos em todo o mundo), são algumas delas.

Não esquecendo o meio em que se insere, neste caso uma das zonas mais importantes e turísticas da cidade, a Quebra Orelha ostenta na entrada um apelo ao fado, sendo este um dos géneros que é mais procurado por quem visita o nosso país.

Sessão fotográfica na discoteca Quebra-Orelha, em Coimbra.

O conhecimento e a experiência de Afonso permitem um atendimento personalizado, raro nos dias que correm, e no qual podemos confiar. E em jeito de nota de rodapé, e já que falámos no terrível assunto da crise, podemos assegurar que os preços são mais acessíveis do que estamos habituados.

O que queremos mais?

Quebra Orelha
Horário de inverno: de segunda-feira a sábado das 10h às 20h
Horário de verão: de segunda-feira a sábado das 10h até ao esticar da noite
Morada: Rua do Quebra Costas, nº 8
Telefone: 239 837 109

Texto de Carina Correia
Fotografia de Bruno Pires

(Publicado a 27 Junho 2013)